quinta-feira, 17 de abril de 2014

Terra do Tio Sam > Playoffs NBA: Duelos de alto nível no Oeste

por Thiago Passarelli | @Thigas03

É, galera...Não deu pro meu Lakers! Foi por pouco! (mentira, foi por muito. Pior temporada da história rsrs) Mas, tou aqui pra falar de Playoffs da NBA, que começam no próximo sábado! E vamos falar da Conferência Oeste (West Coast, bitches!), onde o bicho pegou e as vagas foram muito disputadas.

(1) San Antonio Spurs x Dallas Mavericks (8)
(Regular Season – SAS 4 x 0 DAL)

Acho que a vassoura será passada nesse confronto. Confesso que gosto muito do time de Dallas, sou fã de Dirk Nowitzki e admiro o ascendente Monta Ellis, mas acho que eles não vão achar nada contra o ainda forte time de Greg Popovich. Os Spurs estão mais velhos a cada ano que passa, porém nesta temporada mostraram que ainda aguentam o tranco. E acho que a equipe comandada por Tony Parker e Tim Duncan, que já varreu os Mavs na temporada regular, tem tudo para repetir o feito nesse confronto nos Playoffs. Palpite: San Antonio.

(2) Oklahoma City Thunder x Memphis Grizzlies (7)
(Regular Season – OKC 3 x 1 MEM)

Acredito em mais um confronto sem surpresas, até mesmo em outra varrida. O bom time dos Grizzlies, que conta com Marc Gasol, Tony Allen e o ótimo three-point-shooter Mike Miller, não deve ser páreo para a franquia de Oklahoma. Afinal, OKC conta não só com o MVP dessa temporada (se não for, será um absurdo), Kevin Durant, mas também com um time muito completo e que vem jogando muito bem durante toda a temporada. Palpite: Oklahoma City.

(3) Los Angeles Clippers x Golden State Warriors (6)
(Regular Season – LAC 2 x 2 GSW)

Num confronto interno de equipes do mais bonito estado americano (Ah, California!), temos tudo pra ver ótimos jogos. O Golden State fez boa temporada, liderado pelo hiper-promissor Stephen Curry. Porém, mesmo com Curry ‘na ponta dos cascos’, ainda aposto nos Clippers. É difícil pra mim, fanático pelos Lakers, admitir isso... Mas o time de Chris Paul e Blake Griffin deve avançar. Aproveitem a boa fase, afinal vai durar pouco. Logo, logo o único gigante da California voltará com força máxima! Palpite: LA Clippers.

(4) Houston Rockets x Portland Trail Blazers (5)
(Regular Season – HOU 3 x 1 POR)

Numa opinião imparcial, creio que Portland passará o carro no Houston  e que Dwight ‘Traitor’ Howard vai se lesionar gravemente. Brincadeira, não desejo mal a ninguém, nem mesmo a esse traidor. Mas, de qualquer jeito, creio mesmo que os Trail Blazers vão reverter a ‘derrota’ na Regular Season e levar a melhor nesse confronto. LaMarcus Aldridge e Damian Lillard tão jogando muito, acho que isso vai ser suficiente pra bater os Rockets. Palpite: Portland.

Conferência Leste > Quem será capaz de rivalizar com o outro lado?
por Ricardo Pilat
| pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat


Dallas Mavericks, oitavo colocado no lado Oeste, 49 vitórias em 82 jogos. Se o time texano jogasse no lado Leste, seria nada mais nada menos que TERCEIRO COLOCADO. Isso é só um dos muitos absurdos que evidenciam o desequilíbrio entre as conferências. Tirando Miami e Indiana, que são times acima da média, difícil imaginar qualquer outra equipe vencendo um San Antonio, Oklahoma, Clippers nas finais.

Mas sabe o que é pior? Não consigo dizer que os dois favoritos vão chegar fácil nas finais da conferência... Vejamos!

(1) Indiana Pacers x Atlanta Hawks (8)
(Regular Season – IND 2 x 2 ATL)

Duelo do primeiro contra o oitavo é moleza, né? BEEEEEÉ! Errado! Os confrontos diretos entre as equipes mostra que não é bem assim. Aliás, Atlanta venceu o último jogo entre eles, semana passada. Sem contar que o time subiu muito de produção, na briga pela oitava vaga contra meu pobre New York Knicks. Sei não, hein? Mas vou ser medroso e apostar no Indiana... por 4 a 3! Palpite: Indiana.

(2) Miami Heat x Charlotte Bobcats (7)
(Regular Season – MIA 4 x 0 CHA)

Aqui não tem risco de zebra. Por mais que Miami tenha caído de produção na reta final da temporada regular, não vejo como perder pra Charlotte quatro vezes de jeito nenhum. Pra falar a verdade, se perder uma é muito. Venceu as quatro até agora... mas o Heat não terá moleza passando de fase. Palpite: Miami.

(3) Toronto Raptors x Brooklyn Nets (6)
(Regular Season – TOR 2 x 2 BRO)

Aqui temos um jogo muito interessante e com equilíbrio no confronto direto. Toronto, grata surpresa, se manteve no terceiro lugar do Leste quase o campeonato todo, então merece respeito. Porém, Brooklyn chega bem forte nesse duelo, pois foi evoluindo durante a temporada e está num bom momento. E tem jogadores mais experientes também, acostumados com mata-mata. Vai ser apertado, mas aposto nos Nets. Palpite: Brooklyn.

(4) Chicago Bulls x Washington Wizards (5)
(Regular Season – CHI 1 x 2 WAS)

Outro duelo super equilibrado. A diferença entre os times é que Chicago tem jogadores melhores, mas jogou menos que o esperado durante os últimos meses. Já Washington tem um monte de cara que no começo da temporada você não iria querer nem de graça no seu time, mas que surpreendeu. O que vai dar nesse confronto? Pra mim esse é o de mais difícil previsão, mas vou manter o critério do duelo anterior e apostar na experiência em decisões dos caras dos Bulls. Palpite: Chicago.

__________________________________

* A coluna Terra do Tio Sam fala dos esportes que são paixão nos Estados Unidos: basquete, beisebol, futebol americano e hóquei.


Direto da Redação | redacao_esporte@hotmail.com | @redacaoesporte

Comentário da Redação > Espantou a ressaca?


Sabe aquela ressaca brava pós-porre do final de semana? Então, exatamente assim foi o clima do jogo de ontem do meu Santos. A derrota no domingo pesou. Se na Vila teve mais de duas mil pessoas, foi muito. Abalou.

Na formação, o time contou com as ausência de Cícero e Leandro Damião, substituídos, respectivamente, por Alan Santos e Diego Cardoso. Além das ausências, Alison foi para o banco e Gabriel começou de titular, dividindo com Thiago Ribeiro a função de armar a equipe.

A etapa inicial foi dura... de assistir. Ambas as equipes não conseguiam impor seus estilos de jogo. Enquanto o Mixto era horrível taticamente, o Santos era desorganizado, apressado e errôneo. Maltratavam a redonda.

O Peixe sofria sem um armador fixo. Gabriel e Thiago Ribeiro revezavam-se na função, mas nenhum a cumpria com qualidade para fazer o time jogar. Geuvânio passou desaparecido nos primeiros 45 minutos, enquanto Arouca era o melhor na partida desarmando e sendo o único buscando algo no jogo. Insuficiente para tirar o zero do placar.

A segunda etapa começou da mesma maneira e o cheiro de pênaltis, para nosso trauma, era maior. Oswaldo, então, já sacou o Diego Cardoso e colocou o Lucas Lima para armar o jogo. A equipe melhorou. No seu terceiro toque na bola, começou a jogada do gol tocando para Cicinho na ponta, que cruzou para o Arouca abrir a contagem.

O gol tranquilizou o time e aos 23 minutos, Thiago Ribeiro partiu para cima da zaga do Mixto e cavou um pênalti (essa palavra ainda me aterroriza um pouco). Gabriel cobrou e ampliou. A vaga já estava garantida.

O técnico do Peixe ainda pôde descansar alguns jogadores como Arouca e Thiago Ribeiro. Stéfano Yuri e Alison foram seus substitutos.

Mesmo assim, o time ainda fez mais um. Geuvânio, que havia acabado de tomar uma baita bronca (diga-se de passagem) de Oswaldo, colocou Gabriel na cara do gol e o camisa 7 não desperdiçou, fazendo seu segundo gol na partida e fechando placar do jogo por 3 a 0.

Conceitos

Aranha - REGULAR: Não teve NENHUM trabalho.
Cicinho - BOM: Apoiou e buscou o jogo o tempo todo. Gostei.
David Braz - RUIM: A nota é pelo seu futebol, simplesmente.
Neto - REGULAR: Sem trabalho algum. Só tive medo que ele fosse cobrar o pênalti.
Mena - RUIM: Só teve que atacar, mas foi muito ruim nessa parte.
Arouca - ÓTIMO: O melhor em campo junto com o Lucas Lima. Desarmou e atacou muito bem, compensado com um gol.
(Alison) - CACHORRO LOUCO: Não tocou na bola e nem no adversário. Não teve tempo.
Alan Santos - REGULAR: Não foi mal, mas é banco na certa.
Gabriel - BOM: Muito esforçado e também foi recompensado, mas com dois gols.
Thiago Ribeiro - RUIM: Anda muito mal das pernas. Só cavou o pênalti.
(Stéfano Yuri) - SEM CONCEITO: Não tocou na bola.
Geuvânio - REGULAR: A fase dele é ruim, claramente. Deu uma assistência e só. Pouco para ele.
Diego Cardoso - RUIIM: Acho que nem tocou na bola, pelo que eu me lembre.
(Lucas Lima) - ÓTIMO: Mudou o jogo, fez o time jogar. Não pode ser descartado como vem sendo pelo Oswaldo...
Téc: Oswaldo de Oliveira - REGULAR: Errou em deixar o Lucas Lima no banco e acertou em colocá-lo logo no início do segundo tempo. Abre o olho, Oswaldia!


_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Igor Domingues | igor4712@hotmail.com

Copa no Quintal > França: Os Meninos do Saint-Denis

Ah, minha querida França! Lembro sempre da minha infância em Paris. Correndo ao redor do Arco do Triunfo, empinando pipa em cima da Torre Eiffel, pisando na grama do Palácio do Versailles e fazendo passeios chatos da escola no Museu do Louvre! Ou seja, ninguém melhor que je pra comentar sobre a seleção francesa na Copa do Mundo 2014 aqui no Redação do Esporte!

...

Ok, de tudo que foi dito acima, só a última frase é verdadeira. Fui escolhido por mim mesmo pelo board deste site para analisar a França durante a Copa, apesar de não ter nenhuma ligação direta com Les Blues. Mas meu carinho pelos franceses vem de longa data e posso dizer que é representado por Zinedine Zidane. Provavelmente, o melhor jogador que vi na vida.

Mas depois que Zizou se aposentou duas coisas aconteceram: 1- os brasileiros respiraram aliviados por nunca mais terem de enfrentá-lo; 2- os franceses tentaram o suicídio por terem um time tão fraco pra torcer. Porque junto com Zidane se foi toda uma geração: Henry, Vieira, Desailly, Djorkaeff, Lizarazu.

Esses foram, e veio a safra de Ribery, que até pouco tempo tinha além de Ribery... o Ribery. Ou seja, porra nenhuma merde. O resultado nós vimos na Copa de 2010, um vexame. Eliminados na primeira fase, uma rodada antes de todo mundo.

Como acreditar que agora, em 2014, a coisa pode ser diferente? A luz veio a mim numa conversa recente com um amigo francês sobre a seleção. Note, caro leitor, que a França de 2014 não é mais o catado de 2010 e nem um time cheio de estrelas como em 1998 ou 2006. É um time de bons garotos, todos muito promissores, mesclados com experientes jogadores de destaque e mais alguns de meia idade que jogam direitinho.

Aliás, lembra muito meu time aqui no Brasil. Por isso resolvi apelidá-los de "Meninos do Saint-Denis" (descobriu o meu time?). Oui, veja só, temos Ribery e um novo Benzema, menos caneludo que outrora, liderando moleques de muito potencial.

Só no time titular que venceu a Holanda no último amistoso, tinha o craque Paul Pogba da Juve (21 anos), o ótimo zagueiro Raphael Varane do Real Madrid (20 anos), outro bom defensor, Eliaquim Mangala do Porto (23 anos) e o Antoine Griezmann da Real Sociedad (23 anos). Quatro sub-23. Nem todos devem ser titular no Mundial, mas estarão nesse renovado grupo de Didier Deschamps, que sabe muito bem ganhar uma Copa.

Meus amigos, vai ser bem complicado vencer essa Copa de 2014 (apesar que nosso grupo é fácil e o caminho nem tão complicado), mas anote aí: pra 2018, teremos um baita time, com a entrada ainda de mais alguns meninos do time sub-20, campeão mundial da categoria ano passado.

Ah, e em uma coisa já somos campeões faz tempo: temos o hino nacional mais legal já visto e ouvido neste mundo. Dá um play no vídeo abaixo e tente não se arrepiar com a Marseillaise (Marselhesa) cantada pelos campeões do mundo de 1998.



Allez les blues!

____________________________________

* Aqui na coluna Copa no Quintal você entra no clima do Mundial no Brasil, com as análises das principais seleções que nos visitarão em 2014.



por Ricardo Pilat | comentarista francês da Copa do Mundo 2014
pilatportasio@gmail.com
| @ricardopilat

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Gringolaço > Um time BALEado

“É um Barcelona todo desarrumado,
Não tem defesa,
BALEado...”

Ok, pessoal do Redação, admito que assassinei a canção infantil e não sou tão bom de rimas, mas não tem como deixar de comentar. Cadê aquele Barcelona que ficamos acostumados e hipnotizados a assistir? É normal vermos nossos clubes tupiniquins perderem três jogos seguidos, mas com o Barcelona não é normal.

O que vimos mais cedo pela Copa do Rei foram os mesmos erros das derrotas contra o Atlético de Madrid e Granada, ou seja: invenções do “Professor Pardal Castelhano”; partindo para o desespero quando levou o gol e cruzando na área mais do que cachorro no cio. Pergunto, repergunto, digo, repito e se for possível faço nota de rodapé: um time, cujo seu ataque é pelo chão, pelo toque de bola, pra que ficar cruzando que nem um bando de retardados dentro da área?

O Real Madrid, nosso freguezão de anos, foi superior. Sim, é duro admitir, mas parecia que o clube da capital havia encarnado o espírito do Barça em jogar: foi pra cima; atacou; foi perigoso; mostrou eficiência e soube controlar o jogo. Só não conseguiu uma coisa: advinha? A tal posse de bola que ficou com o Barça e  que não soube aproveitar. É, posse de bola não ganha porra nenhuma e esse tal de tiki-taka está fazendo hora extra no mundo do futebol ou estou errado?

Aos 10 minutos, Daniel Alves perdeu a bola no campo de ataque e ligou o contragolpe. Benzema deu um ótimo passe para Di María, que livre, chutou cruzado sem muita força, mas José Pinto engoliu um frangaço. Parece piada pronta, mas é verdade: o Pinto engoliu um frango.

A nhaca era tanta que somente aos 41 minutos veio uma oportunidade do Barça com Messi. Iniesta fez grande jogada pela esquerda, driblando Pepe. Na sequência, a bola sobrou para o camisa 10 arriscar seu primeiro chute da entrada da área. A bola passou perto da trave. Aliás, cadê o Messi? Será que ele já está se poupando para arrebentar na Copa do Mundo?

A desorganização tática do Barcelona seguia e um jogador em especial a equipe não conseguia parar de jeito nenhum: Bale. O galês arrancava, chutava, driblava, chamava o jogo para si e a defesa (que defesa?) não conseguia neutralizar.

Aos 23 minutos, após cobrança de escanteio, Bartra subiu sozinho e cabeceou para o fundo do gol. Era um outro jogo. Era uma outra final. Mas peraí: seria um pássaro? Um trem-bala (sim, aquele prometido para ser feito no Brasil até a Copa)? Usain Bolt? Papa-Léguas? Ligeirinho? Não! Era Gareth Bale.

Faltando cinco minutos para o final, o galês pegou a bola no campo de defesa, chegou a sair pela lateral para não levar um “tackle” de Bartra, engatou a 6ª marcha e ganhou na corrida do próprio beque catalão, e na saída de Pinto fez um golaço. Como o País de Gales dificilmente vai para uma Copa do Mundo, Bale pode tentar uma vaga na equipe britânica para os 100 metros rasos nos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro.

Neymar teve nos seus pés a chance de levar o jogo para mais 30 minutos, mas a bola teimou em não entrar. Ela bateu na trave aos 44 minutos. Aliás, o brasileiro teve uma atuação “mais ou menos, mais ou menos”. Até confusão com o nosso zagueiro/lutador de UFC Pepe e com Fábio Coentrão ele se meteu, e acabou levando cartão amarelo.

Desde janeiro de 2003, em jogos oficiais, o Barcelona não perdia três jogos seguidos. Na época foram derrotas para o Valencia (4 a 2), Celta (2 a 0) e Atlético de Madrid (3 a 0). Como disse no começo do post “é normal vermos nossos clubes tupiniquins perderem três jogos seguidos, mas com o Barcelona não é normal”. Para Tata Martino eu só tenho uma coisa a dizer parafraseando o ótimo filme Tropa de Elite: “PEDE PRA SAIR!”.

_____________________________________

* A coluna Gringolaço analisa os principais torneios e acontecimentos do futebol europeu.


por Antonio Lemos
|
www.paponaarquibancada.blogspot.com.br

Clinch > A farsa caiu e o Pac-Man voltou!

Ainda que tarde, a justiça foi feita, meus amigos. Há dois anos atrás acontecia em Las Vegas um dos maiores roubos da história do Boxe. Na ocasião, inexplicavelmente, Tim Bradley venceu Manny Pacquiao por decisão dividida sendo que a única coisa que fez na luta foi dar jabs na guarda do Pac-Man. Assim, para mim, ele se tornou nada mais nada menos do que uma farsa. Pode ter algum talento, mas não para ser campeão. Depois disso ele fez defesas de títulos e novamente venceu com polêmica, como foi contra Juan Manuel Marquez. Mas uma hora a mascara de Bradley cairia, e nada melhor do que ser contra o próprio Pacquiao.

A tão esperada revanche rolou na madrugada do último sábado, e para quem não estava na balada enchendo a cara e depois pegando o carro por aí, pôde acompanhar uma das lutas mais aguardadas do ano. Apesar de estar acontecendo no país de Bradley, a grande maioria do público presente no MGM Grand estava na torcida pela justiça, pela vitória de Pacquiao, e o Pac-Man fez por merecer. Se a primeira vez a vitória dele já havia sido incontestável, dessa vez não tinha como dar merda, a não ser que a arbitragem estivesse dormindo ou estivesse sob efeito de drogas pesadas (as mesmas que o Ricardo Pilat andou usando antes de falar que o Manchester passaria pelo Bayern na última quarta).

O filipino nem precisava de guarda levantada de tão rápidas que estavam suas esquivas. O seus golpes eram contundentes, frustravam Bradley que tentava, tentava, tentava e nada. Parece que Pacquiao se reinventou depois das suas duas derrotas. Hoje ele é outro lutador. Ele tinha deixado de ser agressivo como era antes, lutava pra vencer por pontos, e agora voltou a ser agressivo, lutar pelo nocaute. O domínio na noite deste sábado foi muito grande, e ele mostrou que de fato é infinitamente melhor que Bradley, que na minha concepção, venceu apenas dois rounds dos 12.

Com a vitória, o filipino reconquistou o cinturão dos meio-médios da OMB e agora o mundo espera pelo confronto mais aguardado do atualidade entre Pacquiao e Floyd Mayweather. Bob Arum (Dana White do Boxe), faça acontecer!

UFC > Minota, chegou a sua hora!


Ex-campeão peso pesado do Pride e do UFC. O único a conseguir essa façanha. Uma verdadeira lenda do MMA, digno para ser lembrado eternamente pelos amantes da luta. Um mestre no jiu-jitsu, pai de grandes lutadores. Rodrigo Minotauro, sua hora chegou. Não tem mais o que provar para ninguém. Tudo isso que descrevi acima, te faz enorme, mas infelizmente tudo tem um fim.

O grande erro de muitos lutadores foi não saberem a hora de parar, como foi por exemplo com Mirco Cro-Cop e Tito Ortiz, que passaram vergonha até a última luta da carreira desnecessariamente. Eu espero que Minotauro não passe por isso. Não precisa. Na sexta-feira, a lenda enfrentou o duro Roy Nelson e foi atropelado pelo gordinho, sofrendo alguns knockdonws até finalmente ir à lona. Fato é que Rodrigo parecia estar muito mal preparado para o combate, e com falta de ritmo devido ao tempo que estava parado (quase um ano).

Nelson, ao contrário do brasileiro, entrou na lua com sede de vitória. O resultado foi exatamente o reflexo de como estavam os lutadores. Roy com fome de nocaute e Minotauro monótono. O golpe do americano que derrubou de vez o brasileiro foi um gancho espetacular, a sua especialidade, no 1º round.

Agora, o gordinho aguarda o futuro adversário. Já Minotauro deve encerrar a carreira em uma “luta de showbol” (expressão criada por Ricardo Pilat) contra o também ex-lutador em atividade, Frank Mir. O combate seria uma trilogia.

TUF Brasil 3 > E o Oscar de melhor ator de 2014 vai para... Wanderlei Silva e Chael Sonnen

Além de lutadores, Wanderlei Silva e Chael Sonnen andam frequentando a gloriosa escola de atores de Wolf Maia, e estão se saindo muito bem por sinal, vide o episódio escroto do TUF Brasil em que os dois lamentavelmente sairam na mão. Na verdade esse negócio está mais do que armado e já está sujando a imagem do esporte, que não gosta de ser comparado a nenhum tipo de violência. Mas fato é que ambos os lutadores estão fazendo um papel feio, que está fazendo Dana White feliz pela audiência.

Como vocês podem perceber sou totalmente contra esses tipos de atitude. Que os dois não se gostem, beleza, mas não precisam forçar tanto como estão forçando. Que resolvam as divergências no dia da luta, mas que não façam esse "papel" feio que estão fazendo.

Pra quem ainda não viu isso, se liga:



_____________________________________

* A coluna Clinch traz a análise dos principais eventos de artes marciais do planeta.


por Fernando Borchio | fernando.borchio@hotmail.com

terça-feira, 15 de abril de 2014

En la Cancha > Só três brasileiros continuam na luta pela hegemonia no continente

O futebol brasileiro começou a Taça Libertadores com seis representantes, agora restam três. A partir desta semana, os mineiros Atlético e Cruzeiro e o imortal Grêmio continuam a luta para manter a hegemonia tupiniquim na América. De 2010 pra cá, só nós ganhamos o torneio continental.

A estreia brasileira na fase de mata-mata cabe ao Cruzeiro. O atual campeão mineiro vai ao Paraguai enfrentar o tradicional Cerro Porteño no dia 16/04 e o jogo de volta acontece dia 30/04, no Mineirão. Se nada de anormal acontecer, os mineiros têm tudo para se classificar de forma tranquila. O Cerro tem uma equipe mediana e não deve oferecer muita resistência.

Na semana que vem é a vez de Grêmio e Galo fazerem suas estreias. O imortal gaúcho, segunda melhor equipe na classificação geral, tem uma tarefa um pouco complicada. O Grêmio vai à Argentina enfrentar o time mais abençoado do continente, o San Lorenzo, o famoso time do Papa Chico. O San Lorenzo é um equipe mediana, mas vem empolgada pela classificação heroica contra o Botafogo e tenta fazer uma despedida honrosa do “Nuevo Gasômetro”, já que a volta pra casa está confirmada. Acredito que o Grêmio passa sem sustos, mas com placares magros.

O último brasileiro a entrar em campo é o Atlético-MG, atual campeão do torneio tem o pior adversário de todos. O Galo vai enfrentar o Atlético Nacional da Colômbia, o outro sobrevivente do grupo da morte, junto com o Grêmio. A primeira partida é na casa do adversário e um bom resultado será primordial para a equipe brasileira manter as chances de título. Diferente do ano passado, quando o time de Cuca sobrava, esse ano o Atlético parece estar no mesmo nível do dos adversários. Sem dúvidas, é quem tem a parada mais difícil entre os brasileiros.

Demais jogos

Nacional (PAR) x Vélez:
Parada fácil para os “Linniers”. Devem carimbar a passagem às quartas sem problemas.
Arsenal (ARG) x Unión Espanhola: Confronto equilibrado, mas o time argentino deve passar.
The Strongest x Defensor (URU): O time uruguaio vai sofrer na primeira partida na altitude. Porém, tem time para passar de fase em maiores problemas.
Lanús x Santos Laguna (MEX): Talvez o confronto mais equilibrado das oitavas. Por fazer a volta em casa, o Santos (o verdadeiro) leva vantagem.
Léon (MEX) x Bolívar: A equipe boliviana foi a maior surpresa do torneio até agora, mas acho que aventura acaba agora. Os mexicanos tem um bom time e devem passar sem muito sufoco.
   
 
_____________________________________

* A coluna En la Cancha fala sobre os principais assuntos do futebol sul-americano.


por Rodrigo Svrcek
| @svrcek_rodrigo

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Comentário da Redação > Campeonato Carioca 2014 | Flamengo campeão: Ao meu amigo vascaíno

Campeão de novo contra o vice de novo (Foto: Uol)
Você, querido amigo cruzmaltino, foi roubado. O gol de Márcio Araújo foi em completo impedimento.

Partindo da teoria que um erro não justifica o outro, mas sim da teoria do "quando é comigo não foi nada, quando é deles é roubo", você parece ter memória seletiva.

Você se lembra que com 15 minutos seu zagueiro Luan deveria ter sido expulso? Clara e manifesta chance de gol, carrinho no joelho de Éverton. O flamenguista Marcelo de Lima Henrique apenas amarelou.

Tudo bem, tudo bem. E o lance do chapéu do Paulinho no Guinazu, que para evitar a jogada cometeu uma falta grosseira, logo após receber um amarelo? Falta pra cartão. Sendo o segundo, é vermelho.

Meu amigo, ora pois, isso tudo aconteceu antes do seu gol. Seriam 11 contra 9. O que? São lances interpretativos? Tudo bem.

E no primeiro jogo, querido descendente do antigo poderoso reino, alias, quase todos somos, quando Everton Costa fez falta em Felipe no seu gol? Você se sentiu indignado? Você gritou aos quatro cantos que era beneficiado?

Você bate no peito, grita feliz, espalha para todo mundo que foi o primeiro time a aceitar os negros no futebol brasileiro sendo desprovido de preconceitos. Mas vai pro estádio gritar que a favela e a mulambada estavam em silêncio. Curioso não?

Sai falando por aí que do alto dos seus quase 30 anos, viu seu time ser campeão da Libertadores e eu não. Pois é, eu fui campeão, mas não vi ao vivo. Mas, meu nobre, você já viu seu time ganhar do maior rival em uma final? Não.

Seu erro é comemorar antes. Seus jogadores no momento do gol estavam exultantes. Compreensível, afinal, são 25 anos cravados de derrotas no seu peito. Mas, 5 minutos após o gol, você ainda estava lá, vibrando com Barbio e Felipe Bastos que regiam a torcida a uma só voz.

Era questão de tempo né, meu amigo? Afinal do outro lado era um bando de mulambos, favelados, eliminados da competição mais importante do ano. E ai você quis gritar olé. Continuar a chacota num jogo que estava 1x0. Olha a memória seletiva novamente. Esqueceu que o empate era nosso?

E aí voltamos ao início do texto. Foi "roubado", segundo você. Só que a arbitragem foi muito ruim. Não justifica, mas você sair dando chilique por aí não faz muito sentido. Afinal, o seu gol também foi roubado meu camarada. Esqueci. Um erro não justifica o outro, parceiro.

Sentirei sua falta. Que suas viagens nessa sua velha nova vida, afinal 5 anos atrás você já viveu isso, sejam boas. Quem sabe nessa nova fase, etapa da sua vida, você não mostre toda sua força contra as potências que você vai enfrentar em grandes praças, com todo o respeito, como Itápolis, Lucas do Rio Verde e Juazeiro do Norte. Ótima viagem, amigo.

Você foi roubado, mas roubou. Só que você só lembra do que lhe convém.

Forte abraço do seu melhor amigo.

Flamengo.

PS: Péssimo jogo.

Conceitos

Felipe - REGULAR: Foi seguro durante o jogo. No atual cenário do futebol, não deveria ter falado sobre ser "mais gostoso". O futebol está politicamente correto demais pra isso.
Léo Moura - MAIOR QUE O VASCO: Chegou em 2005 ao Fla. Neste período venceu 5 estaduais. O Vasco 0. 2 Copas do Brasil, o Vasco 1. 1 Brasileiro, o Vasco também. Mas foi daquela série que eles curtem jogar. Sem mais.
Wallace - BOM: Venceu todas ontem. Seguro, ríspido e subiu ao ataque no momento certo. Calculou a cabeçada na trave para que Márcio Araújo fizesse o gol em impedimento.
Chicão - CORINTIANO E RUBRO-NEGRO: Fez um feijão com arroz suficiente, frente ao poderoso ataque cruzmaltino. Não satisfeito, como bom integrante do bando de loucos e agora da Nação, arrumou uma confusão pra não perder o hábito. Expulso, foi zoar o Vasco do vestiário.
André Santos - MARACUJINA II - A MISSÃO: Tá pior que o Wanderlei no TUF. Qualquer dividida já fico esperando o Herb Dean encerrar a luta. Se acalma, filho.
(Nixon) - GOL LEGAL: Na súmula, saiu como autor do gol do título. Não estava em posição de impedimento. Logo, o gol foi legal.
Amaral - REGULAR: Entrou novamente com a licença para matar, mas dessa vez pegou leve. Entrou pra não deixar o Vasco jogar e não jogou.
Gabriel - LULA NO MENSALÃO: Não sei de nada. Mal notei em campo.
Márcio Araújo - RONDINELLI: Jogava mal demais até viver seu momento Rondinelli, Deus da Raça, ao marcar o gol do título. Entra pra seleta categoria de perebas que fizeram o gol de título contra o Vasco.
Luis Antonio - REGULAR: Longe do atleta do ano passado, mesmo assim é dos melhores no meio campo. Lúcido pelo lado direito, produziu bons lances.
Everton - ROBBEN BRASILEIRO: Vários dribles safados pelo lado do campo. É sempre a melhor opção para as jogadas de ataque do time. Saiu cansado.
(Erazo) - IBSON + CARLOS EDUARDO: Tá querendo criar uma categoria abaixo de Ibson e Carlos Eduardo. É inacreditável que acredite que jogue futebol. Lento, nunca sabe o momento certo do bote, cometeu um pênalti estúpido.
Paulinho - REGULAR: Puxou bons contra ataques, mas por vezes foi fominha ou não soube finalizar a jogada. Caprichando nisso, voltará a ser o protagonista.
Alecsandro - REGULAR: Segue devendo nos jogos grandes. Por certos momentos, forçou o contato em busca de faltas. Se esforça, mas pode mais.
Téc. Jayme de Almeida - RUIM: Passa momento preocupante. Não acerta as escalações e não tem conseguido consertar no intervalo. Vem ladeira abaixo. Ao menos teve estrela pelo título.

_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? Ou outra coisa? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas de um jeito diferenciado!

por Rafael Gomes | rafagomesdesouza@gmail.com | @rafaeldudu

Gringolaço > Acabou a paz, Martino: pede pra sair!

Vem sendo uma temporada atípica, não é verdade, torcedor catalão? Para uns, há pelo menos duas temporadas o Barcelona não vem sendo aquele Barcelona que estávamos acostumados a ver de 2005 a 2011, ‘época de ouro’ em que colocava medo nos demais clubes, para outros, o estopim é agora. Parece que enterraram um urubu ou com o perdão do trocadilho, esconderam uma GRANADA no Camp Nou.

A saída de Guardiola, a acachapante derrota para o Bayern na Champions passada, as invenções de Tata Martino, derrotas para clubes medianos no Campeonato Espanhol e a eliminação para o Atlético de Madrid na atual Liga dos Campeões fizeram de um clube, que antes não tinha problemas, num ‘para raio’ de crises.

Contra o Granada, o time até que dominou o jogo, mas falhou nas finalizações e saiu derrotado por 1 a 0, complicando ainda mais a situação do técnico Tata Martino, vulgo “Professor Pardal castelhano”. Com este resultado, o Barça caiu para terceiro com 68 pontos, ficando quatro pontos atrás do líder Atlético de Madrid, que venceu o Getafe por 2 a 0 e chegou aos 72 pontos, e um ponto a menos que o Real Madrid (69), que goleou o Almería por 4 a 0.

O gol da vitória dos donos da casa saiu aos 15 minutos. Brahimi recebeu lançamento de Fran Rico entre os zagueiros do Barça, dominou e tocou na saída do goleiro José Pinto.

O que se viu depois foi um Barcelona na base do desespero, como foi naquele jogo de quarta contra o Atlético de Madrid e martelava em busca do empate. Messi mais uma vez ficou no bolso dos zagueiros e Neymar dando chilique a ponto de levar cartão amarelo. Porém, o camisa 11 mais uma vez foi o melhor do time.

Fim de papo e a maré de azar pelo jeito vai ficar um bom tempo no Camp Nou. Ficou difícil para o Barça, já que a sua sequência até o final terá confrontos contra times que estarão brigando por competições europeias e a “decisão” contra o Atlético de Madrid (vide abaixo a sequência de jogos) e haja secação!

Acabou a paz, Tata Martino, e quarta-feira tem decisão da Copa do Rei contra o seu maior rival Real Madrid. Já ouviu a dica né? Se não for campeão, vai ficar pequeno para ti, hermano. Se não aguenta a bucha bebe leite e pede pra sair!

Caminho dos postulantes ao título:
Atlético de Madrid – 72 pontos
Elche (c); Valencia (f); Levante (f); Málaga (c); Barcelona (f).

Real Madrid – 69 pontos

Valladolid (f); Osasuna (c); Valencia (c); Celta de Vigo (f); Espanyol (c).

Barcelona – 68 pontos
Athletic Bilbao (c); Villarreal (f); Getafe (c); Elche (f); Atlético de Madrid (c).

Futebol Inglês > Liverpool vence ‘decisão’ e só depende de si para encerrar jejum


Como mencionei na edição de 8 de abril do Gringolaço, o título inglês do Liverpool depois de 24 anos só dependerá dele. A vitória contra um concorrente direto ao caneco só mostra que os Reds estão com pinta de campeão e pelo jeito, só um desastre do tamanho da Inglaterra para que o tabu não seja quebrado.

Um jogador em especial está contando os dias para comemorar: Steven Gerrard. Qual jogador profissional não sonha em ser campeão por um clube no qual torce desde criança? É o caso do capitão dos Reds, que ao final do jogo foi às lágrimas depois de mais uma vitória da equipe contra o Manchester City por 3 a 2. E foi um verdadeiro jogão.

Em 26 minutos, o Liverpool foi avassalador abrindo 2 a 0 com gols de Sterling e Skrtel. Para piorar, o craque do City, Yaya Touré saiu machucado aos 18 minutos. David Silva e Johnson (contra) deixaram os citizens no jogo, mas Philippe Coutinho marcou o gol da vitória dos Reds.

O Liverpool chegou aos 77 pontos, com o Chelsea em segundo, 75. Em terceiro e dois jogos a menos aparece o Manchester City com 70. Todos têm caminhos fáceis rumo ao título, tirando Liverpool e Chelsea que se enfrentam. Depois, restará um secar o outro. 

Caminho dos postulantes ao título:
Liverpool - 77 pontos
Norwich (f), Chelsea (c), Crystal Palace (f), Newcastle (c).

Chelsea - 75 pontos
Sunderland (c), Liverpool (f), Norwich (c), Cardiff (f).

Manchester City - 70 pontos (2 jogos a menos)
Sunderland (c), West Brom (c), Crystal Palace (f), Everton (f), Aston Villa (c), West Ham (c).

Futebol Inglês parte 2 > Arsenal x Hull City: final da FA Cup

O final de semana não foi marcado por apenas pelo Campeonato Inglês. A FA Cup chegou a sua fase semifinal com a classificação de Arsenal e Hull City para a final no dia 17 de maio, em Wembley.

Capengando na Premier League, o Arsenal enfrentou o atual campeão Wigan e precisou dos pênaltis para avançar. Após empatar no tempo normal e na prorrogação por 1 a 1, os Gunners venceram por 4 a 2 nas cobranças de penalidades e pode acabar com seu jejum de nove anos sem títulos - o último foi justamente o da FA Cup, em 2005.

O Wigan, que está na Segundona, saiu na frente com Jordi Gómez, mas Mertesacker empatou nos minutos finais. Na decisão por pênaltis, brilhou a estrela do goleiro Fabianski, que pegou as duas primeiras cobranças da equipe da segunda divisão inglesa, feitas por Caldwell e Collison. Arteta, Kallstrom, Giroud e Cazorla converteram para os Gunners e colocaram a equipe alvirrubra na final da competição.

O adversário do Arsenal será o Hull City, da 2ª divisão, que venceu o Sheffield United, da 3ª divisão, por 5 a 3. Sagbo, Fryatt, Huddlestone, Quinn e Meyler marcaram para os Tigers, enquanto Baxter, Scougall e Murphy descontaram para o Sheffield.

Pela primeira vez na história o Hull irá disputar a final da FA Cup.

_____________________________________

* A coluna Gringolaço analisa os principais torneios e acontecimentos do futebol europeu.


por Antonio Lemos
|
www.paponaarquibancada.blogspot.com.br

domingo, 13 de abril de 2014

Comentário da Redação > Paulistão 2014 | Ituano campeão: Não podia ter ido para os pênaltis...

PORRA, SANTOS! Tou de volta aqui do Pacaembu puto da vida após a derrota nos pênaltis para o Ituano. Sim, o Santos conseguiu perder um título pro  Ituano. E pela primeira  vez na minha carreira de torcedor, vi o Santástico sair derrotado de uma decisão.

Entre milhares de erros nossos nessa final, o maior deles foi ter deixado o negócio ir para os pênaltis. Ao contrário da semana passada, em que jogamos mal pra cacete, dessa vez fomos bem, especialmente no primeiro tempo. O time pressionou, foi pra cima, a torcida foi junto e após muita insistência, arrumou um pênalti. E também ao contrário da semana passada, agora o Cícero bateu bem e fez.

O gol foi no finalzinho da etapa inicial. A torcida foi ao delírio. Era o momento de acalmar um pouco os ânimos, sim, pra não se abrir muito depois, mas não pra voltar dormindo como fez o time.

Nos acomodamos no 1 a 0, na disputa de pênaltis. Ituano foi a campo pra não deixar haver jogo. Já que tomou 1, estava satisfeito com a situação. Teria mais uma chance de ser campeão. Não podia ter deixado isso acontecer.

E foram vários os motivos para esse placar ficar assim. Não só os gols perdidos incríveis por Geuvânio, Rildo e Cícero. Mas principalmente a postura geral do time E aqui vale dizer que Oswaldo também teve culpa. Suas alterações também demonstraram estar acomodado. E no fim, ainda tirou alguns dos caras que teriam qualidade e experiência pra bater pênaltis.

Nos pênaltis tudo podia acontecer e aconteceu o pior para nós. Pra falar a verdade, um time grande diante de um pequeno, que tem 1% do nosso investimento, devia é ter vencido os dois jogos bem! Qualquer coisa fora disso já tava errado.

Enfim, parabéns ao Ituano, é um feito enorme para um time pequeno ganhar o Paulista. Para o Santos, nem parabéns e nem vaias. O trabalho no geral é bem feito. Mas que a derrota sirva para corrigir os muitos erros que ainda temos.

E pra fechar: depois dizem que "antis" são aqueles que torcem contra outro time alvinegro aqui de SP. Então o que é esse monte de gente me enchendo o saco no facebook, whatsapp, na rua de casa... torcedores do Ituano mesmo? Vão arrumar time pra torcer, seus malas. VAI SANTOS!

Conceitos

Aranha - BOM: Fez a parte dele. Podia só ter pego outro pênalti, né? Mas os caras do Ituano bateram bem demais.
Cicinho
- REGULAR: Podia aparecer mais.
Neto - PQP, VSF, FDP: Aqui não é o conceito, e sim o que eu falei quando ele perdeu o pênalti.
David Braz - SOBRINHO DO OSWALDO: Não joga nada. Deve ser parente do O.O.
Mena - BOM: Muita vontade, como sempre. Fez falta semana passada.
Alison - MITO: Esse sim é o cara. Dá carrinho de cabeça de se precisar. Voltará a ser titular pelo jeito.
Arouca - REGULAR: Muita vontade, mas meio burro às vezes na marcação.
Cícero - REGULAR: Acertou o pé no pênalti, mas ficou devendo com a bola rolando.
Geuvânio - RUIM: Jogou mal e perdeu a chance de matar o jogo. É bom jogador, mas não o craque que já pintaram. Muita responsa pra pouca costa.
(Alan Santos) - SEM CONCEITO: Nem tocou na bola.
Damião - RUIM: Realmente não jogou nada, mas não devia ter saído do jogo. Ele segura pelo menos a bola no ataque. Oswaldo foi no grito da torcida (que também não manja porra nenhuma e só corneta)
(Gabriel) - REGULAR: Ficou devendo, como vinha fazendo nos últimos jogos.
Thiago Ribeiro - REGULAR: Participou muito pouco do jogo. Saiu machucado.
(Rildo) - PQP, VSF, FDP: Por coincidência, foi avaliado que nem o Neto.
Téc. Oswaldo de Oliveira - PÉSSIMO: Alterações ridículos de novo. Mas no geral faz um bom trabalho, só tem que ter menos espírito de perdedor.


Curta a página do torcedor santista no Facebook: www.facebook.com/SantistaDeAlma.


_____________________________________

* ÓTIMO, BOM, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMO? No Comentário da Redação, você fica sabendo o que rolou nos principais jogos da rodada, incluindo análises individuais dos atletas.

por Ricardo Pilat
| pilatportasio@gmail.com | @ricardopilat